Curta o Paulistana no Facebook



Bispo contrário ao Vaticano II pode ser excomungado após ato no RJ

Posted on
  • quinta-feira, 19 de março de 2015
  • by
  • Redação
  • in
  • Marcadores:
  • Dom Richard Nelson Williamson promoveu ordenação ilegal na quinta-feira (19)

    Consagrado já havia sido expulso em 1988 por ser nomeado sem autorização.
     Foto: Catholic Press Photo
    Da Redação

    O bispo londrino Dom Richard Nelson Williamson pode estar excomungado novamente por ter promovido ordenação contrária ao Papa no Rio de Janeiro nesta quinta-feira (19). A informação é da agência Catholic News Service.

    Dom Richard ordenou bispo Jean-Michel Faure, 73, no Mosteiro da Santa Cruz, em Nova Friburgo, Região Serrana do Rio, sem a aprovação papal. Os cânones da Igreja preveem excomungação automática nestes casos.

    Segundo o jornal O Estado de S.Paulo, o bispo fará uma nova ordenação ilegal no sábado (21) ao tornar padre o monge nicaraguense André Zelaya de León, que vive no mosteiro.

    Em entrevista ao jornal, Dom Richard afirmou que não se preocupa com uma nova excomunhão e criticou Francisco. “Nós pensamos que o papel do papa é manter os católicos na doutrina católica, na fé”, afirmou.

    O bispo já havia sido excomungado em 1988 por ter sido ordenado bispo sem a autorização da Santa Sé. Sua excomunhão foi revertida em 2009 pelo Papa Bento XVI, em uma tentativa de reaproximar a Igreja da da Fraternidade Sacerdotal São Pio X, da qual Richard era membro na época.

    A instituição é rompida com a Igreja desde o Concílio Ecumênico Vaticano II (1962-65), que promulgou documentos que colocavam os católicos mais próximos aos pobres e que acabou com tradições como a missa em latim.

    Dom Richard deixou a fraternidade após parte dela se reconciliar com a Igreja.

    O Vaticano ainda não comentou a possível excomunhão do bispo após a nova ordenação contrária ao direito canônico.

    Holocausto

    O bispo também já havia criado polêmica em 2008 ao contestar o número de judeus mortos durante a 2ª Guerra Mundial em entrevista é TV sueca.

    "Não acredito que as câmaras de gás tenham existido", afirmou na época. "Acho que duzentos ou trezentos mil judeus morreram nos campos de concentração nazistas, mas nenhum deles em câmaras de gás", defendeu o consagrado.