Sacerdote afirmou, em celebração, que é preciso não ter medo dos conflitos em protestos

Vigário da Pastoral Povo da Rua costuma participar de manifestações. Foto: Reprodução/Facebook

Por Arthur Gandini

O vigário episcopal da Pastoral do Povo da Rua, Julio Lancellotti, afirmou no último sábado (28) que é normal haver "tensão" em protestos de rua.

"E quando me perguntam das manifestações que tem violência, eu digo: “manifestação sem violência é Marcha pra Jesus!’, brincou o também pároco da igreja São Miguel Arcanjo, na Região Belém. A declaração foi dada durante a celebração em memória dos 35 anos de martírio de Dom Oscar Romero na Casa de Oração do Povo da Rua.

Para Lancellotti, que costuma participar de movimentos sociais e manifestações como as pela redução da tarifa de ônibus e metrô no começo do ano, afirmou que a história do arcebispo de San Salvador, assassinado pela ditadura de El Salvador em 1980, mostra que não devemos ter medo dos conflitos.

"É tenso e a gente tem que aprender na tensão e no desafio. Dom Oscar Romero mostra isso para nós", disse.

Ditadura

O vigário também relembrou que o Papa João Paulo II pediu que Romero parasse com suas denúncias contra o regime  militar e fizesse as pazes com o governo, o que não foi acatado pelo bispo, que aceitava a possibilidade de martírio para poder defender o povo.

"Diálogo com os poderosos, só quando você fala na língua deles. Se você não fala na língua deles, não tem diálogo", afirmou Lancellotti.

Leia também: Pedro Casaldáliga envia mensagem sobre o martírio de Oscar Romero