Curta o Paulistana no Facebook



PJ da Brasilândia convida jovens a apoiarem Reforma Política

Posted on
  • sábado, 21 de março de 2015
  • by
  • Redação
  • in
  • Marcadores:
  • Para organismo pastoral, empresas influenciam na não aprovação de leis no Congresso

    Entidades como a CNBB apoiam fim do financiamento privado às campanhas. Foto: Divulgação
    Da Redação

    A Pastoral da Juventude da Região Episcopal Brasilândia convidou jovens da Arquidiocese, por meio de postagem em seu blog oficial neste sábado (21), a se engajarem pela aprovação da Reforma Política, defendida por entidades como a CNBB (Conferência Nacional dos Bispos do Brasil).

    Texto da pastoral defende que problemas na cidade como a precariedade da saúde pública não são resolvidos devido à não aprovação de reformas pelo Congresso Nacional.

    "Mas o Congresso impede que tais reformas sejam aprovadas. Isto porque parte dele representa os interesses de uma pequena parte da sociedade que financia as campanhas eleitorais, ou seja, de algumas poucas empresas", afirma o comunicado.

    Leia mais: Fiéis coletam assinaturas para Reforma Política neste sábado (21)

    O organismo pastoral da Arquidiocese defende o fim do financiamento privado aos políticos para acabar com a influência de empresas na aprovação de leis.

    Confira o comunicado na íntegra:

    "Ei companheir@, você já assinou o formulário da Coalização pela Reforma Política Democrática?

    Você também pode coletar assinaturas da família, amigos e colegas, na rua, no trabalho, na faculdade, na igreja, onde quiser.

    Mas você já conhece a proposta dessa Lei de Iniciativa popular? Não? Então dá uma olhada:

    O projeto de iniciativa popular da Coalizão pela Reforma Política Democrática e Eleições Limpas apresenta uma proposta de representação política mais identificado com a maior parte da sociedade.

    Os quatro pontos principais desta proposta são:

    1. Proibição do financiamento de campanha por empresas e adoção do Financiamento Democrático de Campanha;
    2. Eleições proporcionais em dois turnos;
    3. Paridade de gênero na lista pré-ordenada;
    4. Fortalecimento dos mecanismos da democracia direta com a participação da sociedade em decisões nacionais importantes;

    Se pararmos para pensar um pouco vamos perceber que a baixa qualidade do transporte público, a crescente violência urbana, a deficiência na educação, a precariedade da saúde pública, a carência de esporte e lazer para a juventude e a falta de terra para os trabalhadores que precisam são alguns dos inúmeros problemas sociais que a sociedade brasileira sofre há muito tempo.


    Por que tais problemas nunca são resolvidos? Porque a solução deles depende da aprovação de muitas reformas como a reforma urbana, a reforma agrária, a reforma tributária e a reforma política. Todas elas precisam ser aprovadas no Congresso Nacional do Brasil.

    Mas o Congresso impede que tais reformas sejam aprovadas. Isto porque parte dele representa os interesses de uma pequena parte da sociedade que financia as campanhas eleitorais, ou seja, de algumas poucas empresas. Assim, as necessidades da maior parte da população nunca são atendidas de verdade.

    É isso que causa grande parte da corrupção política gerando inclusive a atual crise de representatividade no País. Só com uma Reforma Política Democrática será possível superar tais problemas que degradam a democracia brasileira.

    Saiba mais e colete assinaturas! através do link: http://www.reformapoliticademocratica.org.br/"