Curta o Paulistana no Facebook



Arcebispo de Brasília é eleito presidente da CNBB em primeira votação

Posted on
  • segunda-feira, 20 de abril de 2015
  • by
  • Redação
  • in
  • Marcadores:
  • Dom Sérgio da Rocha irá suceder Dom Raymundo Damasceno na presidência

    Bispo foi eleito com 215 votos. Segue a votação para outros cargos. Foto: Reprodução/Facebook

    Da Redação

    Atualizado em 21/04 - 12:02

    O arcebispo de Brasília (DF), Dom Sérgio da Rocha, foi eleito presidente da CNBB (Conferência Nacional dos Bispos do Brasil) nesta segunda-feira (20).

    O bispo irá suceder Dom Raymundo Damasceno após ter recebido um total de 215 votos em primeira votação, superior aos 196 que seriam suficientes para lhe garantir os dois terços do total. Seu mandato será de quatro anos, podendo se reeleger.

    Já para o cargo de vice-presidente, foi eleito o arcebispo de Salvador (BA), Dom Murilo Sebastião Krieger.

    Dom Leonardo Steiner, bispo auxiliar de Brasília, foi reeleito e continua no cargo de secretário-geral na entidade representativa da Igreja no Brasil.

    Um dos doze presidentes de comissões episcopais da CNBB também já foi eleito. Dom Jaime Spengler, arcebispo metropolitano de Porto Alegre (RS) será o novo presidente da Comissão dos Ministérios Ordenados e Vida Consagrada da CNBB.

    Perfil

    O novo presidente da conferência Dom Sérgio da Rocha nasceu em Dobrada (SP) em 1958. Foi ordenado presbítero em 1984 na Matriz do Senhor Bom Jesus de Matão (SP).

    Foi nomeado bispo auxiliar de Fortaleza (CE) em 2011, arcebispo coadjutor de Teresina (PI) em 2007 e arcebispo metropolitano de Brasília (DF) em 2011.

    Estudou filosofia no Seminário de São Carlos (SP) e teologia Pontifícia Universidade de Campinas (SP). Também é mestre em teologia moral pela Pontifícia Faculdade de Teologia Nossa Senhora da Assunção (SP) e doutor pela Academia Alfonsiana da Pontifícia Universidade Lateranense, de Roma.

    Quando esteve em São Carlos, foi assessor da Pastoral da Juventude. Seu lema episcopal é "Tudo na caridade".

    Entenda a votação

    Mais de 300 bispos efetivos na CNBB irão eleger, além do novo presidente, o vice-presidente, o secretário-geral e os presidentes das doze comissões episcopais. Eles participam desde a última quarta-feira de assembleia geral em Aparecida.

    Bispos eméritos também participam da assembleia, mas não têm direito a voto e nem de serem votados.

    O voto é secreto e também é permitido votar nulo ou se abster. A eleição pode durar até a próxima quinta-feira (23), véspera do encerramento da Assembleia.

    As votações são feitas separadamente e começam pela presidência, seguida pela vice-presidência e a secretaria-geral. Caso nenhum bispo atinja dois terços do total de votos no primeiro escrutínio, será feita uma nova votação. Caso o número não seja alcançado novamente, um terceiro e quarto escrutínio será feito pela maioria absoluta de votos.

    Mais duas votações podem ser feitas, se necessário, para desempatar os dois bispos mais votados.

    Já os presidentes das comissões episcopais são eleitos por maioria absoluta, com até quatro votações para que haja um desempate, se também houver necessidade.

    A cerimônia de posse acontecerá na sexta-feira (24), às 10h30, no Centro de Eventos Padre Vítor Coelho.