Curta o Paulistana no Facebook



Padre é baleado durante arrastão no metrô de São Paulo

Posted on
  • sexta-feira, 5 de junho de 2015
  • by
  • Redação
  • in
  • Marcadores:
  • Pároco da Região Episcopal Santana, Wilson Pereira dos Santos foi atingido na perna

    Fato ocorreu na tarde de terça-feira (3), na Zona Norte de São Paulo. Foto: Divulgação
    Da Redação

    O pároco da Paróquia Nossa Senhora Aparecida e São Matias, na Região Episcopal Santana, Wilson Pereira dos Santos foi atingido por um tiro na perna durante arrastão no Metrô de São Paulo, na tarde da última terça-feira (3). A bala atingiu superficialmente o sacerdote, que está se recuperando, informou o site da Arquidiocese de São Paulo.

    Segundo relatos do sacerdote, por volta das 16h, dois adolescentes embarcaram na estação Jardim São Paulo-Ayrton Senna, da Linha 1/Azul (Zona Norte da Capital), e durante o trajeto roubaram celulares e pertences dos passageiros. Ao chegar na estação Parada Inglesa, os jovens teriam ameaçado atirar caso alguém resistisse ao assalto. “Ninguém no vagão reagiu. Eu não estava olhando para eles no momento do disparo, pois evitei ao máximo olhá-los, justamente para não intimida-los”, disse o padre.

    A Polícia Militar apreendeu os adolescentes, que têm 16 e 17 anos. Segundo os rapazes, o disparo ocorreu acidentalmente. Eles foram encaminhados para unidade da Fundação Casa.

    Padre Wilson também fez relação ao debate da redução da maioridade penal. "Eu não acredito que só reduzindo a maioridade penal que irá resolver as coisas. É preciso não apenas investir em educação, mas até em infraestrutura familiar, humana, para que esses delitos não venham a ser mais comuns”.

    “Eu penso que tem mais pena as pessoas que possibilitaram esse tipo de ação. Como que aquela arma chegou nas mãos daqueles menores? Qual seria na nossa parcela de culpa, enquanto sociedade, diante de tudo isso?”, questionou.

    A CNBB (Conferência Nacional dos Bispos do Brasil), que representa a Igreja Católica no país, também é contrária à medida.

    Leia também: Reduzir a maioridade penal é crucificar os jovens